Subscribe RSS
Das praias de Morro nov 25

 

Visual da Primeira Praia

Visual da Primeira Praia

Sempre que alguém me pergunta qual das praias de Morro de São Paulo é a mais bonita ou qual eu recomendo. Eu penso e não adianta, sempre largo a mesma resposta. Gosto mais da Primeira Praia. Então vem o espanto e as perguntas dos que aqui vivem e a conhecem. Porque a Primeira ? Ela não é a mais bela das praias da ilha, que ao total podemos dizer são 9 contando com as cinco mais visitadas (Primeira, Segunda, Terceira, Quarta e Quinta) e ainda as Praias do Porto de Cima, da Ponta da Pedra, a Prainha do Forte e ainda a Gamboa.

Justifico aqui minha escolha: desde a primeira vez que pisei em Morro, em dezembro de 2004, acho a Primeira Praia de Morro de São Paulo a melhor. A prefiro das demais devido ser uma praia onde você tem um belo visual, com o morro de um lado e a Segunda Praia, com sua Ilha da Saudade de outro. Por ser a praia mais freqüentada por moradores e nativos, gosto desta característica e nada contra os locais onde têm maior número de turistas. A Primeira tem os quiosques mais antigos de Morro, de propriedade de nativos, onde você é atendido por pessoas simpáticas e generosas e prova as delícias típicas da ilha como as porções de guaiamu e pititinga. É na Primeira que ficam os esportes radicais da ilha. A Tirolesa, banana boat e o point dos surfistas de Morro, a Pedra do Moleque.
Ainda bem próximo da praia, na rua paralela a esta, fica a companhia que faz mergulho. Com maré alta o espaço de areia fica pequeno, mas é suficiente para deitar-se nas cadeiras de praia e lagartear sob o sol. Sua extensão, com 315 metros, é perfeita para relaxar.
Gosto da tranquilidade que esta praia tem. Gosto de banhar-me na praia, a água é clara e o mar sempre está cheio. Gosto do ar bucólico desta praia, foi ali que foram construídas as primeiras casas de veraneio da ilha. Precisa dizer mais ? É a Primeira Praia a minha favorita, mas cada uma das praias de Morro têm suas peculiaridades e características especiais. Mas como diz aquele velho ditado, “gosto não se discute”.

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.
Leave a Reply